HOME OFFICE HOME 








Durante meses, queria lançar este projecto, mas sem saber bem como. Um dia mandei todo o conteúdo ao Pedrinho Fonseca, meu amigo-irmão-fotógrafo-escritor-pai-coração-bom. Silêncio por um tempo. 15 minutos depois, me mandou este texto.

E, assim, de repente, todas as dúvidas sumiram e senti que, com esse texto, fazia sentido fazer e colocar no mundo essa ideia.

E aqui está.





“O fotógrafo Gui Nunes está a registrar, em cada reunião em salas virtuais que participa, aquilo que respira, ainda humano, em nossos distanciamentos, confinamentos, isolamentos.

A fotografia como exercício de enxergar o exílio de cada uma e de cada um que - ao se deparar com os espelhos-tela — ainda consegue admirar os rostos das outras pessoas tal qual o nosso rosto se revela a elas, nos sorrisos, seriadades, distrações e focos.

Home Office Home é um trabalho-prefácio. Inconcluso. Por não sabermos quando isso termina. Por não sabermos como isso termina. Por não sabermos se isso termina.

É um convite a continuarmos nos enxergando profundamente. Mesmo sem saber quando, como e se isso termina.”

HOME OFFICE HOME 

luciana


cani



Mudar para Lisboa foi muito mais que uma mudança.
Mudei de cidade, de país, de continente, de trabalho, de estado cívil.
Recentemente, inclusive, mudei de filho para pai.

Quem me conhece sabe quão importante essa mudança foi - e ainda é - para mim.
Nem todo mundo sabe quem proporciou isso.
E eu sei que já te falei. Eu sei que já te agradeci.
Mas eu gostaria de te dizer isso.
Todo santo dia.

Obrigado.


thanks god



it’s riday

rudolfo

gonsalves

2020, gnunes.net